Unicamp será sede virtual do IV Copene Sudeste

audiodescrição: ilustração colorida de uma mulher negra usando turbante e os dizeres "iv copene sudeste - ações afirmativas no brasil: projeto de um país antirracista"
Imagem de divulgação do IV Copene Sudeste

A Unicamp sedia, de forma virtual, o IV Congresso de Pesquisadores/as Negros/as (Copene) da região Sudeste, que ocorre entre 18 a 23 de setembro de 2021. O evento, intitulado “Ações afirmativas no Brasil: projeto de nação antirracista”, congrega atividades em apresentações de trabalhos acadêmicos, além de conferências, minicursos, oficinas e atividades culturais. As inscrições para a Comissão Científica e para propositores de Sessões Temáticas, oficinas e minicursos já estão abertas. A submissão de trabalhos tem início em junho.

O Copene, evento encabeçado pela Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), é um momento de encontro de pesquisadores negros e negras, sendo tanto um espaço científico e acadêmico como um espaço de articulação. “É um momento de discussão, de debates acerca da produção de conhecimento vinculadas às questões étnico-raciais, a temáticas que envolvem a população negra e temáticas correlatas”, pontua a professora da Unicamp e coordenadora-geral do IV Copene Sudeste, Débora Jeffrey. 

Os Copenes regionais acontecem em cada uma das cinco regiões do país, nos anos ímpares. Já o Copene nacional ocorre em anos pares, desde o primeiro evento, em 2000. Por conta da pandemia, o XI Copene nacional está sendo realizado também em 2021. 

Ações afirmativas em debate

O IV Copene Sudeste tem como título “Ações afirmativas no Brasil: projeto de nação antirracista”. A discussão sobre as ações afirmativas, pontua Débora Jeffrey, adquire caráter urgente neste ano, visto que a Lei de Cotas (Lei 12.711/2012) e o decreto que a regulamenta (Decreto 7.824/2012) deverão ser revisados em 2022, após 10 anos de vigência.

“Há um temor de que, dada a atual conjuntura política, haja tentativa de revogação do decreto e da lei de cotas. Os Copenes estão com a incumbência de trazer ao público esse debate e produzir documentos e posicionamentos de pesquisadores negras e negros em prol da manutenção e da consolidação da lei de cotas”, afirma. Os documentos produzidos, diz, serão encaminhados a instâncias do Poder Público.

Para a professora, há urgência que se faça o debate desde já. “Não vamos esperar 2022 para que seja feita uma mobilização. A intencionalidade é provocar essas discussões e debates já em 2021, para que essa mobilização não aconteça só quando essa matéria entrar em discussão no Congresso ou passar por apreciação do presidente”.

Primeiro Copene Sudeste no estado de SP

Será a primeira vez que o estado de São Paulo sedia o Copene Sudeste. A realização da quarta edição do evento é da ABPN junto à Unicamp, através da Diretoria Executiva de Direitos Humanos e da Comissão Assessora de Diversidade Étnico-Racial (Cader). A Unicamp foi escolhida como sede, conforme Cleber Santos Viera, presidente da ABPN, por sua expressiva importância na produção científica brasileira e pela importância do trabalho que vem sendo desenvolvido em instâncias como a Cader. “A instituição escolhida foi a Unicamp, todos nós sabemos sua importância na produção científica do Brasil e certamente será uma outra Unicamp após o nosso Copene”, disse Cleber na ocasião do evento de lançamento do site do IV Copene, que debateu os 20 anos da Conferência Mundial contra o Racismo (assista abaixo).

https://youtube.com/watch?v=h3fy5v-db6I

O presidente da ABPN, que é docente da Unifesp, também destacou que a luta antirracista existe no Brasil desde que o primeiro negro e a primeira negra se aquilombaram, resistindo ao processo de escravização. “É esse processo que fazemos agora dentro das universidades, mostrando que serão mais democráticas e mais diversas cada vez que incorporaram em seu funcionamento, em sua institucionalidade, em sua estrutura, uma pauta realmente e verdadeiramente democrática do que significa ser antirracista”.

Programação

O IV Copene Sudeste ocorre de 18 a 23 de setembro e tem na programação sessões temáticos, minicursos, oficinas, conferências e atividades culturais. Além disso, englobando também a preocupação relativa à educação básica, tecnológica e profissional, o IV Copene Sudeste abriga o Fórum Permanente de Educação Básica – Regional Sudeste e a Jornada SIECTI (Simpósio de  Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação).      

A conferência de abertura, que ocorre no dia 18 às 10h30, será proferida pela professora Maria Alice Rezende Gonçalves (UERJ), com o mesmo título do evento: “Afirmativas no Brasil: um projeto de nação antirracista”.

Confira a programação completa no site do IV Copene Sudeste: https://www.copenesudeste2021.abpn.org.br/

Originalmente publicado em...