Centro de Mídias SP transmite formação para enfrentamento da violência contra crianças e adolescentes

Na última segunda-feira (26) o Centro de Mídias de São Paulo (CMSP) deu início a uma série de transmissões voltadas a formação de professores e equipes escolares para o enfrentamento da violência contra crianças e adolescentes. A ação é uma parceria da Secretaria de Educação do Estado (Seduc-SP), via Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação do Estado de São Paulo “Paulo Renato Costa Souza” (EFAPE), com o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) para promover a campanha “Não se cale!”, que incentiva e orienta a denúncia, por parte da sociedade civil, de casos de abuso e violência contra crianças e adolescentes.

A série de programas apresenta o trabalho desenvolvido por juízas, promotores, psicólogos  e assistentes sociais, dentro do Fórum Criminal da Barra Funda, com crianças e adolescentes vítimas de violência. Serão abordados aspectos importantes sobre a identificação de sinais de uma possível situação de violências física, sexual, psicológica e  negligência e também como agir de forma correta diante dessa situação e, proceder no encaminhamento aos órgãos de justiça.

“A apresentação dos programas nos instruirá a respeito do quanto nós educadores e a sociedade de uma forma geral, precisamos educar o olhar e a atenção, acerca do que as crianças e adolescentes têm comunicado, seja com expressões, gestos e palavras”, avaliou Adriana Cardoso, formadora da EFAPE.

As formações também tratam sobre a importância da articulação e do fortalecimento da rede de proteção, destacando o papel da escola, explicando as diferentes formas de violência e orientando os profissionais da educação quanto à postura técnica e ética que mais colabora para diminuir eventuais danos psicológicos no momento da escuta do relato e do sofrimento da criança.

Estão programadas outras três transmissões que acontecem nos dias 26 de abril, 10 e 24 de maio e 7 de junho no canal Desenvolvimento Profissional 1, no aplicativo do CMSP.

A magistrada Dra. Ana Carolina Della Latta Camargo Belmudes, uma das responsáveis pela campanha, avalia que a escola exerce um papel fundamental dentro da Rede de Proteção, tanto na prevenção, como na proteção da criança vítima de violência ou abuso. A juíza afirmou que são recorrentes os casos em que a revelação ocorre na escola, onde a vítima encontra na professora ou professor segurança para relatar os abusos, ou mesmo o docente percebe que algo de errado pode estar acontecendo e oferece uma escuta acolhedora, tomando as medidas adequadas e necessárias.

“Por isso essa ação conjunta entre a Secretaria da Educação e o Tribunal de Justiça é importantíssima. A formação dos professores e professoras sobre como fazer uma escuta especializada, sobre a importância de noticiar uma suspeita é essencial, assim como debater questões como diversidade, gênero e sexualidade. É urgente falar e conhecer esses assuntos complexos, somente assim avançaremos na proteção efetiva de nossas crianças e adolescentes, alcançando a cidadania desses sujeitos de Direito em desenvolvimento”, analisou.

Também colaboram com a campanha e com a formação o grupo de atores “Palhaços Sem Juízo”, que atua nas salas de depoimento especial em fóruns de São Paulo, junto a crianças e adolescentes vítimas de abusos. Os vídeos da campanha com a participação dos atores do grupo estão disponíveis no canal do TJSP no YouTube (https://www.youtube.com/watch?v=bGqAx3ta-CM).

Denúncias sobre maus-tratos, violência ou abusos contra crianças e adolescentes podem ser feitas gratuitamente pelo número de telefone 100, por qualquer cidadão, de forma anônima. O serviço funciona diariamente em todo o país, das 8 às 22 horas, inclusive em finais de semana e feriados.

Originalmente publicado em...