Educação SP anuncia internet de 100MB para todas as escolas da rede estadual até 2022

Todas as escolas da rede estadual paulista terão internet de 100MB até o final de 2022. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (9), no Memorial da América Latina, durante o evento de lançamento do Programa Mega Escola, vinculado à Secretaria da Educação (Seduc-SP). Para isso, são previstos R$ 158,8 milhões em investimento para execução do projeto em todas as escolas da rede estadual paulista, nos próximos 12 meses.

“A escola pública foi responsável por três anos da minha existência, anos vitais para mim […] eu tenho razões de vida para apoiar a educação pública no meu estado. Eu sou fruto da educação pública do estado de São Paulo”, declarou o Governador do Estado, João Doria.

Para implantação do programa foram selecionadas 507 escolas (9,8% da rede), distribuídas em 160 municípios, para participarem do piloto a partir de julho. O investimento inicial é de R$13,1 milhões e o mensal é de 790 mil mensais. As escolas foram escolhidas pelos critérios: Infraestrutura já instalada e capaz de receber 100 mega; utilização alta no Centro de Mídias SP; maior indicador de vulnerabilidade; adesão aos projetos de tecnologia e inovação da Seduc- SP.

“Em 2019, a maioria das nossas escolas tinham apenas 8 megas de velocidade. Nós já fizemos no primeiro ano de mandato uma transformação para fibra ótica, e isso nos permite fazer avanços mais rápidos, e passamos a ter entre 16 e 30 megas no ano passado. E agora estamos dando esse salto que é realmente transformador”, explicou o Secretário da Educação, Rossieli Soares.

A ampliação seguirá os mesmos critérios de seleção do piloto e deverá ocorrer em 4 fases:
Fase 1 – entre setembro e outubro de 2021: + 1093 escolas (31% da rede)
Fase 2 – entre novembro e dezembro de 2021: + 1093 escolas (52,3% da rede)
Fase 3 – entre janeiro e março de 2022:  + 1232 escolas (76,3% da rede)
Fase 4 – entre abril e junho de 2022: + 1225 escolas (100% da rede)

“Os nossos professores estão totalmente integrados ao Centro de Mídias e a velocidade da internet conta muito. Nós até estávamos pensando na escola como poderíamos ampliar essa velocidade, agora quando eu chegar e anunciar o programa Mega Escola eles vão vibrar” comemorou a diretora da escola estadual Dom Agnelo Cardeal Rossi, Fátima Santana de Almeida.

A velocidade de 100MB, que corresponde a download de 12.5MB/segundo, garante muitos avanços na educação, sobretudo no uso pedagógico qualificado. Um deles, por exemplo, é a possibilidade de transmissão de 400 aulas diferentes, ao vivo, via Centro de Mídias SP (CMSP). A iniciativa da Seduc-SP contribui com a formação dos profissionais da Rede e amplia a oferta aos alunos de uma educação mediada por tecnologia, de forma inovadora, com qualidade e alinhada às demandas atuais. “É uma conexão que se torna ainda mais necessária no período em que vivemos, com as aulas presenciais suspensas nas unidades de ensino, e a comunidade escolar necessitando do nosso apoio”, comenta Rossieli.

Campanha Nossas Escolas Conectadas

Ainda foi anunciada a adesão de 100% das escolas estaduais à Campanha Nossas Escolas Conectadas, promovida pela Sincroniza Educação, Fundação Lemann, e o NIC.br, que incentiva a secretarias de educação e escolas de todo o país a instalar o Medidor SIMET e que tem o secretário Rossieli Soares como embaixador.

A ferramenta gratuita, desenvolvida pelo NIC.br, monitora a qualidade da conexão de Internet e permite o acompanhamento em tempo real das métricas de banda larga fixa nas escolas públicas do país. O Medidor é um instrumento único para identificar em quais unidades de ensino alunos e professores ainda necessitam de acesso à internet de qualidade. Os dados colhidos pelo Medidor são públicos e registrados em um mapa nacional de conectividade. Tais informações são essenciais para orientar políticas públicas de acesso à Internet nas escolas.

Após a instalação, as unidades escolares passam a compor um mapa com diversas informações sobre conectividade, possibilitando ao gestor da rede de ensino fazer o download dos dados em diferentes formatos. Além de público, será um monitoramento completo – no que diz respeito a itens técnicos, como latência, velocidades média e instantânea e perda de pacote.

“A gente quer poder usar a tecnologia da melhor maneira possível para alavancar os nossos professores, não para substituir os nossos professores, mas para potencializar o que eles podem fazer e para dar espaço aos sonhos dos nossos alunos” declarou o diretor da Fundação Lemann, Denis Minze.

Conecta Educação

Para atender às demandas dos estudantes do século 21, a Seduc-SP também lançou o Conecta Educação, que investiu R$ 1,5 bilhão para renovar o parque tecnológico das escolas com a compra de desktops, notebooks, tablets, chips de internet e outros itens. A previsão é que todos equipamentos sejam entregues até novembro de 2021.

Originalmente publicado em...