A interação entre Unicamp e Bayer

O relacionamento entre a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) com a multinacional de ciências da vida Bayer se intensificou e está se ramificando em novas parcerias a partir de um recente acordo de cooperação nacional, firmado entre a Universidade e a corporação no final de 2018.

O objetivo dessa ampla interação, intermediado pela Agência de Inovação da Unicamp (Inova) e a divisão Crop Science focada no agronegócio da Bayer, é buscar mais proximidade com grupos de pesquisa da Universidade a fim de firmar convênios de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) com a Bayer, além de prospectar tecnologias do Portfólio de Patentes e Softwares da Unicamp que possam ser transferidas e se tornarem oportunidades de negócio para a empresa.

Segundo a diretora de parcerias com o setor empresarial da Inova, Iara Ferreira, o intercâmbio acontece em rodadas de reunião entre docentes e pesquisadores da Unicamp, acompanhados pela Inova e mantendo a confidencialidade das informações, com as equipes técnicas e de modelagem de negócios da empresa para que ambos lados compreendam as especialidades de cada grupo ou diferenciais de cada tecnologia da Unicamp e, assim, avaliar se elas correspondem às demandas e problemas prioritários dos diversos segmentos de atuação da Bayer.

“Esse acordo nos permitiu estruturar um relacionamento forte com a Bayer em um processo mais ágil e assertivo para firmar novas parcerias, como propostas no molde ‘One Sheet’ (uma folha) que torna mais objetivo o plano de trabalho e orçamento de um possível P&D, por exemplo. Também nos torna mais ágeis porque enquanto esse acordo de intercâmbio técnico estiver em vigor, garantimos segurança jurídica do sigilo de nossa propriedade intelectual ao mesmo tempo que evitamos a burocracia de assinar diversos acordos de sigilos (NDAs) para cada interação diferente realizada ao se tentar negociar as tecnologias da Unicamp”, explica Ferreira sobre os benefícios do acordo com a empresa.

Essa facilidade também é destacada por Renato Luzzardi, do time de Parceria de Inovação e P&D na América Latina da Bayer e facilitador e ponto focal de relacionamento com a Universidade pela empresa. Ele também lembra que quando surgiu a demanda por novas parceiros de pesquisa e tecnologias, a empresa buscou a Inova para firmar essa ampla cooperação por conta da localização estratégica da Unicamp no estado de São Paulo e pela sua maturidade no relacionamento com o setor empresarial. 

“A Unicamp é uma parceira óbvia para nós, tanto pela proximidade com a nossa sede de São Paulo e com a nossa importante estação de pesquisa na cidade de Paulínia, quanto pelas potencialidades e maturidade da Universidade no relacionamento com a indústria. A Unicamp, através da Inova, é muito amadurecida nas questões de propriedade intelectual, transferência de tecnologia, além de todo o Portfólio de Tecnologias e oportunidades de pesquisa que estamos interagindo”, justifica Luzzardi sobre a escolha da Bayer.

Iara Ferreira, diretora de parcerias com setor empresarial da Inova Unicamp
Iara Ferreira, diretora de parcerias com setor empresarial da Inova Unicamp: intercâmbio acontece em rodadas de reunião entre docentes e pesquisadores

Para o sucesso da parceria e o fomento de assertividade entre as partes, também foi usada a metodologia de ponto focal, em que a Inova e a Crop Science centralizam e intermediam o relacionamento entre Unicamp e Bayer que não se restringe ao setor agrícola. A estratégia vem sendo vista como positiva por ambos lados porque agora é possível acompanhar e rastrear as oportunidades já negociadas, para um futuro amadurecimento, além de propor modelos de negócios diferentes dos projetos de P&D que os docentes estão acostumados.

“Conseguimos construir uma cultura de comunicação mútua que vem facilitando muito nossas negociações com a Bayer. Então, se outra divisão da empresa nos contata ou algum docente a contatar para uma potencial parceria, os pontos focais rapidamente se conversam para que as interações entrem nesse processo que estabelecemos para minimizar possíveis conflitos ou ruídos de informações que prejudiquem ou atrasem as negociações”, destaca Ferreira sobre as conquistas que vão além do contrato ou convênio assinados.

Resultados da cooperação

“Logo após assinarmos o acordo de cooperação, passamos por grandes transformações em nossa organização, então, não conseguimos ainda imprimir a velocidade que gostaríamos nessa parceria com a Unicamp, mas foi possível avançar parcerias recentes com a nossa estação de pesquisa em Paulínia, dedicada à proteção de cultivos, tratamento de sementes e regulamentações”, comemora Luzzardi sobre as conquistas já geradas pelas negociações.

Um desses resultados derivados da ampla interação foi o contrato assinado em 2020 de transferência de material (MTA) extraído de uma patente depositada pela Unicamp, cujos autores são a professora Glaucia Pastore da Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA) e os alunos de doutorado Aline Zanotto e Cristiano de Andrade que estão sendo homenageados no Prêmio Inventores deste ano.

O material transferido se trata de um biossurfactante que, além de ser menos poluente, é extraído da manipueira (extrato da mandioca), um subproduto descartado pela indústria de alimentos e que a partir desse processo patenteado pode ser absorvido pelo mercado com diferentes aplicabilidades. Atualmente, a Bayer está testando o Nível de Maturidade da Tecnologia (TRL) para suas demandas em uma prova de conceito, que busca avaliar se o composto tem potencial para controlar uma determinada doença em plantações. Além disto esta iniciativa de trazer uma destinação nobre a um resíduo industrial vai muito de encontro com os objetivos de sustentabilidade ambiental buscados pela Bayer e Unicamp.

Em março de 2021, também foi assinado um projeto de P&D sob coordenação da professora Bárbara Teruel da Faculdade de Engenharia Agrícola (FEAGRI) para desenvolver o protótipo de um equipamento que será usado no processamento de sementes.

“O processamento de sementes emite muita poeira fina e pode gerar problemas aos pulmões e comprometer os equipamentos pelo desgaste. O equipamento permite ajustar o sistema para se ter o nível adequado de emissão”, explica Luzzardi sobre os benefícios previstos como resultados do projeto.

Além das parcerias mencionadas, atualmente a empresa está avaliando outras oportunidades de colaboração entre Unicamp e Bayer, assim como a possibilidade de novas rodadas para conhecerem mais oportunidades de interação.

Outras empresas que desejam conhecer as possibilidades com a Unicamp, desde prestação de serviços até amplas cooperações como essa com a Bayer, podem conversar diretamente com a Inova Unicamp neste link

Entenda a Transferência de Material

O contrato de transferência de material é mais conhecido como MTA, sigla em inglês para Material Transfer Agreement, uma das formas de transferir uma tecnologia sem prejuízo da propriedade intelectual ao garantir que não haverá uma engenharia reversa no uso, por exemplo.

Na Unicamp, esse tipo de transferência com prazo inferior a um licenciamento de tecnologia foi adotado com a Bayer devido à solidez do acordo de ampla cooperação. Dessa forma, houve a permissão para a empresa avaliar se o composto extraído pelo processo patenteado pode ser uma solução para a empresa e se o Nível de Maturidade da Tecnologia, termo também mais conhecido pela sigla em inglês de TRL de Technology Readiness Level¸ é ideal para absorção do mercado na aplicabilidade prevista.

Caso os testes sejam positivos ou o prazo se encerre e a empresa deseje continuar testando a tecnologia, será firmado um contrato de licenciamento.

Participe do webinar Prêmio Inventores

Com o objetivo de homenagear alunos, ex-alunos, pesquisadores e docentes envolvidos em atividades de proteção e transferência de tecnologia da Unicamp, a Agência de Inovação da Unicamp realiza anualmente o Prêmio Inventores com diversaso atividades, que neste ano terá conteúdo extra no formato webinar.

Durante o evento, é possível conhecer mais sobre outras inovações e participar das sessões de perguntas e respostas com o público. Entre os conteúdos, vamos abordar assuntos como oportunidades de negócios para softwares, conhecer algumas tecnologias da Unicamp absorvidas pelo mercado, sobre a proteção da propriedade intelectual e muito mais. Confira a programação completa aqui.

O evento acontece durante um dia inteiro. É possível assistir às mesas e aos blocos de interesse acessando o mesmo link para qualquer horário, que será enviado por e-mail após a inscrição.

Fique por dentro das novidades e inovações da Unicamp. Inscreva-se e participe!

##

Matéria original publicada no site da Agência de Inovação da Unicamp.

Originalmente publicado em...