Dia Nacional do Escritor: Projeto em escola estadual de Suzano completa 10 anos

O Dia Nacional do Escritor é comemorado neste domingo (25), e na Escola Estadual Alfredo Roberto, em Suzano, não são poucos os parabenizados, isso porque há 10 anos a unidade desenvolve um projeto para fomentar a escrita de poemas entre os estudantes, servidores e comunidade escolar.

No total, já foram publicados 6 livros de coletânea com o trabalho desenvolvido por todas as turmas. O projeto Alunos Preciosos – A Criação Poética da Diversidade começou em 2011, com os professores Ravair dos Reis e Dalila Kodel, hoje já aposentados.

“Na época eu percebi que as redações e textos que eu recebia dos alunos eram escritos em primeira pessoa, o que mostrava a necessidade deles em se expressar. Então surgiu a ideia de reunir isso em forma de livro”, relatou Ravair.

Desde então, o projeto é desenvolvido pelos responsáveis pela Sala de Leitura da escola, em parceria com os demais professores que abraçam a ideia e ajudam os estudantes que o vislumbram a oportunidade como uma forma de dar voz aos seus sentimentos e suas emoções, sem temer o preconceito e o julgamento, abordando assuntos diversificados.

“É sempre uma alegria participar desse projeto, pois é algo que nos faz navegar no mar da literatura, e estar envolvido nos bastidores da escola. O processo de escrita de um poema, ele começa na parte mais difícil, que é pensar em algo bom para se escrever. Qual tema abordar, quais palavras usar para expressar bem nossa ideia, etc. Em meus poemas, sempre busquei ouvir o que aquele momento pedia, ou seja, qual assunto mais se encaixaria naquele momento, ou no tema daquele ano”, explicou o estudante da 2ª série do ensino médio, Victor Gabriel, que participa das produções desde 2017.

Em 2020, mesmo sem as aulas presenciais, por conta da pandemia, os poemas foram produzidos e o 6º livro foi lançado, desta vez em formato digital: https://anyflip.com/sgsjd/tpjn/. A edição de 2021, já está em fase de produção e o lançamento do livro está previsto para o final do ano.

“Agora a distância o incentivo é feito através de vídeos. Nós postamos em grupos chamando alunos, comunidade e colegas de trabalho para participar do livro. Já temos bastante poemas e acredito que com a volta das aulas vamos conseguir um número ainda maior de poesias”, explicou a professora da Sala de Leitura, Márcia Toledo.

Diferente dos outros trabalhos desenvolvidos no dia a dia escolar, a publicação do livro é o diferencial para que o aluno se sinta de fato um escritor. “Depois dessa produção mandamos para uma editora, então o aluno virava escritor, era incrível o que isso causava e ainda causa neles. Dentro da escola o livro mais lido é sempre o deles, mais que os clássicos. Eles veem a si mesmos e a seus colegas dentro deste livro”, explica Ravair.

“Inclusive até familiares, às vezes outros alunos pegam os livros na sala de leitura e ficam olhando o poema e falam: Esse aqui é da minha irmã, ou do meu primo”, complementou Márcia.

“A visão que o aluno passa a ter, é bem maior, o seu encantamento e dedicação com certeza aumenta, e digo isso por experiência própria em minha primeira produção. Posso dizer até pelos colegas de escola, muitos que não se interessavam nem com os conteúdos que os professores passavam, começaram a se destacar só pelo incentivo que esse livro dava a eles”, finaliza Victor.

Originalmente publicado em...