Editora da Unicamp promove Feira Virtual de Livros

A Editora da Unicamp apresenta sua I Feira Virtual. O evento ocorrerá entre os dias 5 e 7 de outubro de 2021, com o tema “Livros à mancheia! ”. Na Feira, os leitores terão a oportunidade de adquirir livros da Editora e de outras 11 editoras universitárias (Edusp, EdUFSCar, Ediunesc e Editoras da UnB, Unesp, UEPG, UFPA, UFG, UFLA e UFPR). Todos os livros estarão com descontos imperdíveis. Confira um pouco mais sobre cada uma das editoras participantes.

Além das vantagens na compra de livros, a Feira terá uma programação cultural ampla e gratuita, com a participação de diversos profissionais de destaque. Confira a programação.

Entre os atrativos oferecidos estão um recital, um vídeo-depoimento, rodas de conversa e o lançamento de três obras de grande atualidade: A ascensão da levedura, Fascismo e grande capital e Narrativas de (re)existência. A transmissão poderá ser acompanhada pelo canal da Editora da Unicamp no YouTube.

Leia, a seguir, depoimentos sobre os livros a serem lançados na Feira:

A ascensão da levedura – lançamento no dia 5/10, às 17:30.

Após mais de 20 anos realizando pesquisa com leveduras, deparei com o livro do professor Nicholas Money, que conta a história da parceria milenar existente entre nós humanos e esses micróbios tão simples e fascinantes. Decidi, então, encarar o desafio de traduzi-lo para o português, para contribuir com a divulgação científica em nosso país. O livro combina um texto atraente e cheio de curiosidades, acessível a um público não especializado, com a prática acadêmica de indicar as fontes de informação. O que seria de nossa civilização sem o pão levedado e o álcool, que conhecemos graças à levedura? Esses e outros aspectos são abordados no livro A ascensão da levedura, que eu espero que gere prazer, aprendizado e diversão em muitos leitores no Brasil”. Andreas K. Gombert, professor da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp e tradutor da obra.

Fascismo e grande capital – lançamento no dia 6/10, às 12h30.

Estamos lançando Fascismo e grande capital, de Daniel Guérin, livro de grande e justo prestígio e que, infelizmente, 80 anos após sua primeira edição, ainda permanecia inédito no Brasil. É um livro repleto de ideias, baseado em rica pesquisa e que oferece muitas pistas para compreendermos o Brasil do governo Bolsonaro e do bolsonarismo”. Armando Boito Jr., professor do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp.

Narrativas de (re)existência – lançamento no dia 7/10, às 12h30:

O livro reúne textos de intelectuais brasileiros e estrangeiros, que, como disse Sidney Chalhoub em seu prefácio, trazem ‘a ideia de narrativa de volta ao mundo do conhecimento’. São pessoas negras, LGBTQIA+, lideranças indígenas e ciganas, professoras e professores e, sobretudo, intelectuais renomadas em suas áreas de atuação, como a escritora Conceição Evaristo e a ex-ministra e professora emérita da Universidade Federal de Minas Gerais, Nilma Lino Gomes. São narrativas potentes, que tornam o livro uma obra de referência para os debates sobre o antirracismo e as lutas contra as desigualdades históricas em nosso país. Estou muito feliz por podermos lançar este livro neste momento da história do Brasil e ainda mais com o belo trabalho dessa grande editora”. Amilcar Araujo Pereira, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro e organizador do livro.

Além das vantagens na compra de livros, a Feira terá uma programação cultural ampla e gratuita, com a participação de diversos profissionais de destaque
Além das vantagens na compra de livros, a Feira terá uma programação cultural ampla e gratuita, com a participação de diversos profissionais de destaque

Confira a entrevista com a diretora da Editora da Unicamp e professora do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL-Unicamp), Edwiges Morato, sobre a Feira Virtual.

Editora – Como surgiu a ideia de fazer uma Feira Virtual?

Edwiges Morato: A Editora da Unicamp tem participado de Feiras, Bienais e Festas do Livro desde a sua fundação. Em 2020, em função da pandemia de Covid-19, essas atividades, essenciais para a divulgação dos livros do nosso catalogo, bem como para uma interação mais estreita com outras editoras, não deixaram de acontecer, mas foram reduzidas. Mas não pudemos realizar nossa festa anual. A última versão foi no segundo semestre de 2019.

Com a experiência adquirida pela Editora da Unicamp nos eventos virtuais promovidos pela Abeu, pela Edusp e pela Editora da Unesp, achamos que, em 2021, seria possível organizar uma Feira do Livro, da qual participariam várias editoras universitárias. Para essa Feira, a primeira em formato virtual organizada pela Editora da Unicamp, teremos três lançamentos e também uma programação cultural, que contará com uma roda de conversa, saraus com breves relatos de professores, alunos e funcionários, sobre como eles se tornaram leitores, além de leitura de trechos de obras selecionados pelos próprios autores.

Uma Feira Virtual da Editora da Unicamp tem duas funções importantes e interligadas: a de organizar um evento próprio, com a participação de outras editoras, e a de dar um foco na interação: entre a Editora e a sociedade, entre os autores e o público em geral, e entre os membros da comunidade universitária. Essa experiência em formato virtual permite que as múltiplas funções da Editora sejam preservadas, e mesmo difundidas para um público mais amplo; tais funções seriam as de expor e vender os livros do catálogo, interagir com outras editoras universitárias, promover lançamentos, estimular a leitura e a cultura do livro e difundir conhecimento de cunho universitário.

Editora – Quais são os objetivos da I Feira Virtual do Livro da Editora da Unicamp?

Edwiges Morato: Entre os objetivos da Feira estão a divulgação do catálogo da Editora, a venda dos nossos livros com descontos especiais, o aprimoramento da formação acadêmica dos estudantes de graduação e pós-graduação do país, a promoção de debates sobre a presença do livro, impresso ou não, na construção do conhecimento em uma era digital e de crise socioeconômica, a celebração dos vários sentidos da leitura e o estreitamento do contato entre autores e leitores.

Editora – Quais são os desafios e as vantagens de um evento como esse ser realizado virtualmente?

Edwiges Morato: Os desafios são de natureza logística, certamente. Mas há também o desafio de despertar o interesse do público em um contexto de coocorrência de diversos tipos de eventos virtuais.

Editora – A organização de edições futuras está nos planos?

Edwiges Morato: A pandemia trouxe a realidade das atividades remotas para a Universidade, o que acabou por valorizar experiências sociais e acadêmicas híbridas já existentes ou possíveis. Além disso, a produção e a circulação de livros digitais contam com uma realidade virtual que também prevê leitores e públicos distantes. Ainda que, tradicionalmente, as Feiras, Bienais e Festas do Livro, por vários e bons motivos, ocorram em formato presencial, experiências virtuais a elas agregadas podem ser interessantes, estratégicas e criativas.

Porém, em 2022, quando comemoraremos os 40 anos da Editora da Unicamp, temos a expectativa de uma bonita festa presencial, até para celebrar, na Universidade, a redescoberta da alegria da convivência presencial, parafraseando os versos de Carlos Drummond de Andrade.

Originalmente publicado em...