Universidades estaduais recebem R$ 1 bilhão em repasse do Governo de São Paulo

foto mostra governador dória, reitores das universidades e outros representantes posando para foto em frente a um painel com bandeira de são paulo
Reitores das universidades e representantes da Fapesp e Aciesp participaram de encontro com governador João Dória (foto: Antonio Scarpinetti)

O Governo do Estado de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (20) o repasse de R$ 1 bilhão para as três universidades estaduais paulistas (USP, Unesp e Unicamp) e para a Fapesp. O crédito suplementar integra o orçamento das instituições de 2021 e será destinado a investimentos em estrutura física e tecnológica e em programas de permanência estudantil. Também foi anunciado o orçamento de R$ 17,13 bilhões para Ciência e Tecnologia no Estado em 2022. 

O compromisso foi formalizado em uma reunião no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, com a presença do governador João Dória; da secretária de Desenvolvimento Econômico de São Paulo, Patricia Ellen; dos reitores Antonio José de Almeida Meirelles (Unicamp), Vahan Agopyan (USP) e Pasqual Barretti (Unesp); do presidente da Fapesp, Marco Antonio Zago; e da presidente da Academia de Ciências do Estado de São Paulo (Aciesp), Vanderlan Bolzani. “Quem defende a ciência, defende a democracia. Este é um princípio basilar da democracia: defender o acesso à educação, o direito à pesquisa e a necessidade do investimento em ciência e tecnologia”, destacou o João Dória aos dirigentes das instituições. 

A divisão do crédito suplementar seguirá os critérios de distribuição da cota-parte de 9,57% do ICMS. Assim, a Unicamp receberá R$ 229,4 milhões, divididos em R$ 118,7 milhões para investimentos em infraestrutura e conectividade, R$ 83 milhões para os programas de permanência estudantil e R$ 27,7 milhões disponíveis a outras demandas. 

foto mostra reitor antonio meirelles em close. ele usa máscara
Reitor Antonio Meirelles destacou importância do recurso para programas de permanência da Unicamp (foto: Antonio Scarpinetti)

“Este é um investimento que ajuda a resolver problemas de momento, mas abre também oportunidades para o futuro”, destacou o reitor da Unicamp,  Antonio Meirelles. Para ele, é necessário que as universidades explorem o potencial de trabalho coordenado no ensino superior oferecido no Estado: “Podemos ampliar a ação conjunta das três universidades e dar um salto em nossa internacionalização. É uma oportunidade única que as universidades têm de enfrentar as dificuldades geradas no passado. Podemos seguir atuando de uma forma muito positiva”. 

Meirelles também ressaltou a importância dos programas de permanência estudantil para a missão educativa e social das universidades. “Assim como ocorre com a USP e a Unesp, para a Unicamp a permanência é uma questão essencial. Um grande número dos nossos estudantes não moram na região de Campinas. Sabemos que o retorno da pandemia traz pessoas com dificuldades financeiras muito maiores. Manter esses programas garante o papel das universidades na formação de pessoas e na inclusão por meio da educação, o que dá uma perspectiva de vida muito melhor para o futuro”, afirmou. 

Mais recursos para Ciência e Tecnologia

Em 2022, o orçamento destinado à Ciência, Tecnologia e Inovação no Estado terá um incremento de 20,5% em relação a 2021. O valor previsto para a Lei Orçamentária Anual (LOA) é de R$ 17,13 bilhões e será destinado às universidades estaduais, à Fapesp e ao Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). 

Na Unicamp, o orçamento de 2022 será de R$ 3,73 bilhões, o que representa um aumento de 17% em relação a 2021. Para a Fapesp, órgão de fomento à pesquisa no Estado de São Paulo, o crescimento será de 15%, totalizando um orçamento de R$ 1,86 bilhão. 

Originalmente publicado em...